29.1.12

Adormecer


Autor (poesia/imagem): Danízio Dornelles
Eu: carbono,
Sangue, nervos,
Versos, absinto;
Rasguei a treva
Da noite morta,
Matei o poema,
Que em mim nascia!
Restou o vazio,
O ósculo do medo,
Eterno segredo:
O fim da poesia!
E agora, que fazer?
Matar o sonho?
Fechar a porta?

Apague a luz,
Vamos dormir...

Nenhum comentário:

Postar um comentário